"Há um momento em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos antigos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia - e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." (PESSOA, Fernando)

"Procuro despir-me do que aprendi. Procuro esquecer do modo de lembrar que me ensinaram. E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos. Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras. Desembrulhar-me e ser eu." (PESSOA, Fernando)

31 de jul de 2012

Hoje acordei...


Hoje acordei com saudades
Saudades daquela que sonhei ser
Saudades dos sonhos encantados
Dos encantos rendados
Acordei com saudades da vida
Das cores
Dos amores que não tive
Acordei com fome e sede
Não alimento do corpo
Mas da alma
Hoje acordei com gosto de você
Desejo marcado em meus devaneios
Você imaginário do meu ser faltante
Que me envolve e me completa
Poeta
Que ouve até mesmo o que meus olhos confessam
Você que existe dentro de mim, desde os primeiros sonhos juvenis
Um cúmplice de todos os meus contos
Morador do meu mundo paralelo
Hoje acordei com saudades do que fui enquanto sonhava...
Apertou-me a garganta porque não tinha o teu nome a gritar
Tremeu meu corpo, porque não tinha o teu a me esquentar
E a lágrima verteu, lavando o sonho e acordando para a realidade
Embora que dentro de mim, sei que existe,
e não haverá nenhuma medida empírica que separe você de mim
Recolho-me em ti...

(MariAne 31.07.2012)

7 de jul de 2012

CONVITE (8/8)

Venha! Venha escutar comigo
Modulações de primavera,
Clarinadas de alvorecer,
Sinfonias de amor!
 (Euclides C. da Silva, 1987)

CONVITE (7/8)



Venha comigo!
Eu tranquei a porta do Tempo
Que dá para a Noite,
E o Sol entrou em cheio
Dentro de minha vida!
(Euclides C. da Silva, 1987)

CONVITE (6/8)



Venha comigo!
Não fique com receio das nuvens do ocaso,
Porque a aurora me acompanha
Vinte e quatro horas por dia!
(Euclides C. da Silva, 1987)

CONVITE 5/8

Venha comigo!
Você não vai ferir os pés nos espinhos,
Porque eu conheço, uma por uma,
Todas as rosas!
(Euclides C. da Silva, 1987)


CONVITE 4/8

Venha comigo!
Não tenha medo da Noite,
Que eu sou amigo da Lua
E namoro as estrelas!
(Euclides C. da Silva, 1987)