"Há um momento em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos antigos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia - e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." (PESSOA, Fernando)

"Procuro despir-me do que aprendi. Procuro esquecer do modo de lembrar que me ensinaram. E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos. Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras. Desembrulhar-me e ser eu." (PESSOA, Fernando)

7 de jun de 2013

Náufrago

Náufrago da dor
vê nascer o amor
(Mari Ane)

2 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Olá MariAne
O amor é capáz de curar qualquer dor.
Bjux

MariAne disse...

Querido Wanderley,
sobrevivente da dor...pela vida nos faz acreditar que ainda existe amor...

grata pelo teu olhar aqui em minha humilde casa de cor desbotada
Abraços da MariAne