"Há um momento em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos antigos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia - e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." (PESSOA, Fernando)

"Procuro despir-me do que aprendi. Procuro esquecer do modo de lembrar que me ensinaram. E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos. Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras. Desembrulhar-me e ser eu." (PESSOA, Fernando)

21 de jan de 2011

dor sem nome


É possível acabar com um sentimento que teima em aflorar...
Como fogo queima o peito
e a lembrança faz dor sem nome chorar
Por mais que tento retirar
Volta, volta sempre ao mesmo lugar
Existe alguma profissão que dome 
a maior das feras entre os homens?
A ferida que fere a vida...
Reabre cicatrizes já tratadas

Ah, memórias desgarradas
Não as quero doídas assim
Almejo apenas meu levantar
com perfumes de jasmim

Almejo cores novas
Vejo-as ao longe, 
Desta vida, que me induz a provas
Busco a lucidez dos monges 
Volto a acreditar que o sonho
Pode realidade se tornar
E levanto mais forte...


(insano momento relfetido 20.01.2011 - MariAne)
Imagem aqui


19 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Olá MariAne
O importante é acreditar sempre que tudo pode ser diferente.
Bjux

Guará Matos disse...

Do sonho é o que precisamos para ser e ter.
Bjs.

incógnita disse...

gostei =)

IT disse...

"Lacerações"
de dentro pra fora.

O 'antídoto'o amor! ♥

AC disse...

Intenso, sentido, belo...
Adorei, Mariane!

Beijo :)

MariAne disse...

Wanderley,
Obrigada pelas palavras

MariAne disse...

Continuo sonhando Guará Matos.

Ei, bem vindo a esta minha casa de cores. Quando quiser voltar pra deixar tua pintura por aqui.

MariAne disse...

Querida It!

Lembraste muito bem, lacerações...

Beijos

MariAne disse...

Incógnita,
seja bem vinda. Minha casa é de cor, misturada em varias nuances, vem aqui e pinta conosco esta tela virtual.

Obrigada pela visita, esta casa tem as portas abertas, volta quando quiser.

MariAne disse...

Ac,

também a dor tem seu lado belo...

Me levanto mais forte!

Marinha disse...

"Almejo cores novas
Vejo-as ao longe,
Desta vida, que me induz a provas
Busco a lucidez dos monges
Volto a acreditar que o sonho
Pode realidade se tornar
E levanto mais forte..."
Força parece ser teu sobrenome, menina!
Bjo e paz, MariAne.

MariAne disse...

Marinha...
volte sempre

Paulo Medeiros disse...

Adorei seu blog. leve, poético, humano.
Beijos e obrigado pela visita.

Paulo Medeiros disse...

Adorei seu blog. leve, poético, humano.
Beijos e obrigado pela visita.

Everson Russo disse...

Essa dor de amor é sempre incomoda,,,mas não podemos é parar de sonhar,,,de desejar amar...beijos de bom dia pra ti querid.a

MariAne disse...

Esteja a vontade Paulo, aqui usamos todas as cores e pintamos em conjunto cada nova tela que surge.
Obrigada, mas se você sentiu leve, poético e humano, é porque dentro de ti existe isto tudo!
Abraços

Eu Lírico disse...

Sim... teima em voltar, teima em surgir, teima em crescer... E o que fazer quando essa teimosia é inválida, quando nada pode ser de fato criado, quando a distância for maior do que a vontade e do que o desejo? Do que o sentimento? O que fazer quando não se pode questionar o outro, quando não se pode sentí-lo?...

MariAne disse...

Nao podemos parar de sonhar, disse tudo Evereson!

MariAne disse...

Nao tenho respostas Eu Lirico, vivo das perguntas...