"Há um momento em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos antigos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia - e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." (PESSOA, Fernando)

"Procuro despir-me do que aprendi. Procuro esquecer do modo de lembrar que me ensinaram. E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos. Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras. Desembrulhar-me e ser eu." (PESSOA, Fernando)

29 de mar de 2012

Espectro de homem


Texto antigo em formato novo (http://tintadotinteiro.blogspot.com.br/2010/08/espectro-de-homem.html)

3 comentários:

Erico disse...

Mari,

Somos diamantes brutos que nascemos e a vida trata de lapidar a cada um.

Tenha um lindo final de semana!

Abraços poéticos :)

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Show, mari. beijos

Guará Matos disse...

Agir assim é tudo. Mas verdade.

Abraços.