"Há um momento em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos antigos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia - e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." (PESSOA, Fernando)

"Procuro despir-me do que aprendi. Procuro esquecer do modo de lembrar que me ensinaram. E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos. Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras. Desembrulhar-me e ser eu." (PESSOA, Fernando)

8 de out de 2010

Dilacerado

Vi no espelho, reflexo do que tão bem eu sabia esconder
agora, se fazendo exposto aos meus olhos.
Já não via as rachaduras, nem deformidades que lhe eram características da idade.
Eram minhas culpas, medos, máscaras de sorriso imaginário, prisão cerrada por minhas próprias chaves.
O espelho apenas refletia aquilo que eu me negava a ver,
e na recusa de uma vida enclausurada
quebrei-o
num rompante momento de vitória sobre minha própria morte.

... com toda força o quebrei, mas ao juntar seus pedaços espalhados ao chão, resvalo meus dedos sobre sua afiada fala. Corta-me, espelho, e deixo meu sangue escorrer entre os dedos, pingando ao meu lado.
Cá estou parada, fixando o reflexo do que era,
 mesclado com o que sou.
Num aperto que se faz presente em mim,
não resisto a fuga novamente para dentro de ti espelho,
enevoado, quebrado...

Hoje, estou assim. Quebrada, machucada e sem forma.

E nesta "dis forma" me reformo, não para ficar enclausurada, mas para lançar-me para fora deste espelho.

Apenas na dor é possível alcançar a mudança, sair da zona de conforto que outrora era suportavel.
(MariAne)


Este texo faz parte do meu acevo, algo que escrevi no meu processo terapêutico, uma fase de revisão, relendo-o agora, percebo que ainda carrega muito sentimento. A escrita eclodiu após uma leitura que fiz, e assim formou-se texto.
Quando escrevo, nem tudo compreendo.  Não o faço pela razão, assim algumas palavras me escapam pelas vias do inconsciente, e somente mais tarde é que delas tomo conhecimento. Desta lida, o que escrevi mesmo no passado, ainda para mim é desafio a ser revelado, relfetido como a imagem do espelho!

20 comentários:

Mariane disse...

Ajuntando os cacos de vidro que me fiz ao chão, pedaço a pedaço, refaço neste mosaico vivo.
Cada parte, reelaborada, novamente sentida, para então ser compreendida.
Assim, parte a parte numa construção contínua.
Não há culpa, nem culpados. Isto é o mais belo. É uma conscientização do que fui, do que sou e do que anseio.
Posso hoje, me olhar no espelho inteira, plena. Convicta de minhas habilidades e de minhas falhas. Reflexo do sou!

Alma Inquieta disse...

Olá Mariane,

sim, encerra muito sentimento e sofrimento, mas é lindo e o facto de o partilhares é sinal que te faz bem traduzir em palavras o que te vai na alma.

Um beijo e que tenhas um excelente final de semana.

Wanderley Elian Lima disse...

Juntar os pedaços às vezes dói , mas é necessário, só assim poderemos olhar no espelho e nos reconhecermos.
Bjux

IT disse...

Feitos os curativos,colocados os medicamentos, tomados os devidos cuidados,sobrevive,porém,são necessários gotas de carinho,coragem,segurança e sobretudo amor, muito amor, só assim se erguerá! se colocará, a postos a novas emoções, que sem dúvida!certamente virão.

...Na dis(forma) destes cAcOs, um lindo e colorido MoSaicO....um novo espelho para contemplar e apreciar tal beleza.

Elenir disse...

MariAne!
O espelho é aquilo que não te deixa fugir, te faz ver mesmo que não queira, não tem saída ... ou deixa o espelho de lado...
Há um machucar-se ao tentar juntar os pedaços estilhaçados. Para nos construir é preciso antes des-construir, ou dasarrumar a casa, tirar tudo do lugar e, depois voltar a organizar de uma outra forma, mais aconchegante e mais suave ao toque e ao olhar.
Neste rearranjo a gente se refaz.
Não há culpa pois não é o que importa, apontar culpados é ainda não aceitar a transformação.
Que mergulho intenso, Mari... que no nosso café(suco ou sorvete pois o calor vem chegando) poderemos falar pessoalmente.
Beijos e bom feriadão...
Elenir

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Oi Mariane.Acima de tudo um texto muito belo.Uma viagem íntima importante, um auto conhecimento.É bom olhar-se mesmo no espelho. Concordo, é na dor que a gente cresce, que se coenhece os amgos ou não.No geral, posso dizer que tudo a vida vale a pena. Até chorar.Só não pdoe chorar muito, senão ofusca a visão e a gente não vê o horizonte. Obrigado pela visita. Volte sempre.Beijos

Mariane disse...

Isto é fato, Alma inquieta, escrever para para depois me reler, processo que completa minha reconstruçao. E como somos dinâmicos, sempre em busca de crescimento, sei que ainda tenho muito o que aprender, e assim vou galgando aos passos que consigo acompanhar, no meu tempo impreciso (atemporal), mas não estático!
Grata pela tua visita e tào belas palavras
Abraços

Malu disse...

Oi , Mariane !

Que bom que te descobri ... :)
É gratificante te ler e te seguir.


Bjo e uma Noite Serena.

Mariane disse...

Wanderley, o interessante de olhar em um espelho quebrado e recomposto em seus pedaços, é que olho-me no real e o imaginário fica apenas no plano do que busco ser, e portanto, que a mim, motiva a continuar!

Mariane disse...

Bem vinda Malu, a esta casa de muitas cores.
Entra e senta-te um pouquinho, se as cores te aprazem, refrigera-te nelas pois passam a ser tuas no momento que a ti fizeram sentido.
Abraços meus pra ti!

Mariane disse...

Querida Irlene, de palavras sonoziradas por um coração amoroso!
Minha caixa de primeiros socorros já esta bem do meu ladinho, e a pinça para tirar os cacos dos meus dedos já esta acostumada. Tenho aprendido muito e tenho descoberto em mim, parte que nem sabia existir!
Eis a construção feita neste mosaico vivo que cada ser humano é capaz de reconstruir! Creio na vida amiga!

Mariane disse...

Elenir,
fizeste uma leitura apurada das minhas palavras.
Sim, neste caminho me encontro descontruir para reconstruir...
Mas não é tão fácil na prática...

Achou intenso?!!??
Legal, interessante como nos surpreendemos uns com os outros. Que chegue o café ou suco a seu devido tempo, até lá, continuarei a te visitar, já que no campo real, mal conseguimos nos encontrar.... srsr

Beijos

Mariane disse...

Agradeço tuas palavras Carlos, e sim, a maior viajem que podemos fazer é a viajem pra dentro de nós mesmos, vivenciando as dores e as alegrias e redirecionando o rumo ao horizonte que se dispoe ao alcance dos olhos!
Abraços

Baerdal disse...

Olhos de Mar, o bom é que depois de tudo sempre nos deparamos com novos espelhos, e por muitas vezes ele está mais forte e mais belo.

Abraços de Baerdal

Mariane disse...

... espelhos serão sempre espelhos Baerdal, basta saber se estamos preparados para encará-los.
Há de sabermos também, que eles não reproduzem a realidade em sua íntegra, pois é no seu inverso que nos vemos. O direito é esquerdo e o esquerdo torna-se direito... e o que é direito mesmo???

Agradeço-te a honra de ter-me comparada a "olhos de Mar",

Abraços desta MariAne

Pelos caminhos da vida. disse...

Muito bom estar sempre aqui.

beijooo.

Mariane disse...

Oi Ana,
Tem almofadas ao chão
Se achegue sempre que tiveres vontade
Tua visita é sempre uma alegria!
Beijos
MariAne

Sílc disse...

Mariane minha Flor, estou passando rapidamente, para te convidar a ir lá em casa ver o texto que fiz para sua amiga Prisca, minha filhota. Hoje é o dia dela 12 de outubro.
Mais à tarde volto pois desejo fazer uma comentário desse lindo Texto seu, mas com minha mente e coração por inteiro nele. Parabéns. Lindo!
Com amor
Sílvia

Mariane disse...

Olá Silvia!
Estive em tua casa, e que linda homenagem presta a tua filha.
É mãe é sempre mãe; aqui, ali e acolá, em todas as idades, em todos os tempos!
E quando sentires vontade, volta aqui pra trocar pedacinhos de retalhos comigo, nesta colcha de retalhos que constrói a cada dia,
Beijos daqui

Mariane disse...

Queridos leitores,
Tem sido para mim grande alegria tê-los aqui, fazendo parte desta minha reconstrução, suas palavras aqui timbradas, tem sido muito preciosas.
Gostaria de compartilhar um vídeo, cuja mensagem é muito especial, e que acabei de postar em meu outro blog: http://minhascorespreferida.blogspot.com/2010/10/parabola-do-lapis.html
Sintam-se convidados,
Beijos