"Há um momento em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos antigos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia - e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." (PESSOA, Fernando)

"Procuro despir-me do que aprendi. Procuro esquecer do modo de lembrar que me ensinaram. E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos. Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras. Desembrulhar-me e ser eu." (PESSOA, Fernando)

22 de mar de 2013

Cordeiro lobo


"Aprendi que paga-se um alto preço quando confiamos
Que palavras podem ser ditas, apenas da boca para fora,
mas, quando assim acontecem,
elas denunciam latentemente seu orador.
Aprendi que aparências enganam,
é possível haver um predador atrás de aparente fragilidade.
Aprendi isto,
mas não mudarei minha essência.
Ainda acredito na beleza do ser humano,
ainda acredito na pureza das palavras.
Acredito que em algumas situações
as pessoas usem da mentira, seu mundo imaginário,
apenas de forma passageira...
porque a verdade lhes é mui doída no presente momento.
Aprendi e respeito.
Mas aprendi também que os contos de fada
trazem no fundo uma realidade muito cruel,
o que era mágico mostra-se um real assustador.
De uma forma dolorida aprendi.
Há lobos em pele de cordeiro.
Não generalizo...
mas ficarei mais atenta."

(Mari Ane)

Nenhum comentário: