"Há um momento em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos antigos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia - e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." (PESSOA, Fernando)

"Procuro despir-me do que aprendi. Procuro esquecer do modo de lembrar que me ensinaram. E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos. Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras. Desembrulhar-me e ser eu." (PESSOA, Fernando)

21 de mar de 2013

Eu sei



Eu sei
Sou um temporal
Por onde passo
Deixo bagunça
Isto é demais
Mas não me sei ser diferente
Não quero mais voltar para as correntes
Elo a elo raspo as ferrugens
Busco a essência do ferro
Moldando em novas formas
Incomodo, sim a mim também me incomodo...
Eu sei
Incomodo, sim a mim também me incomodo...
Moldando em novas formas
Busco a essência do ferro
Elo a elo raspo as ferrugens
Não quero mais voltar para as correntes
Mas não me sei ser diferente
Isto é demais
Deixo bagunça
Por onde passo
Sou um temporal
Eu sei
(Mari Ane)


Nenhum comentário: