"Há um momento em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos antigos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia - e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." (PESSOA, Fernando)

"Procuro despir-me do que aprendi. Procuro esquecer do modo de lembrar que me ensinaram. E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos. Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras. Desembrulhar-me e ser eu." (PESSOA, Fernando)

26 de mar de 2013

Meus fantasmas

"... e se quisermos viver o real...
é preciso encarar de frente
alguns fantasmas
...e quando tomamos a coragem
...percebemos que o fantasma
- que de inicio parecia enorme-
.... não passa de
uma sombra projetada".
(MariAne)
 
 

Um comentário:

Por que você faz poema? disse...

De todos os meus fantasmas,
eu sou aquele que mais me amedronta.