"Há um momento em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos antigos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia - e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." (PESSOA, Fernando)

"Procuro despir-me do que aprendi. Procuro esquecer do modo de lembrar que me ensinaram. E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos. Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras. Desembrulhar-me e ser eu." (PESSOA, Fernando)

12 de jul de 2010

Quando me amei de verdade

(Charles Chaplin)


"Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato. E então, pude relaxar. Hoje sei que isso tem nome: AUTO-ESTIMA.
Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades. Hoje sei que isso é AUTENTICIDADE.
Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento. Hoje chamo isso de AMADURECIMENTO.
Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo. Hoje sei que o nome disso é RESPEITO.
Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável. Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo. Hoje sei que se chama AMOR PRÓPRIO.
Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro. Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo. Hoje sei que isso é SIMPLICIDADE.
Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes. Hoje descobri a HUMILDADE.
Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece. Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é PLENITUDE.
Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é SABER VIVER!!!"
 
 

Recebi de uma Ane muito especial, e deixo aqui vincado neste lugar para não esquecer desta mensagem tão real.

10 comentários:

Malditos Patos disse...

O amor não existe!
Existe o mar, bravo, livre, solto, azul… salgado como as minhas lágrimas...
Sei de tanto que existe…

Mariane disse...

E Patos a banhar estes mares que ainda serão BemDitos...
Paciência... paciência...
Comece amando-te primeiro, o restante será consequencia...
Aparece mais aqui nestas férias...
beijos

Malditos Patos disse...

Uma análise aprofundada do psicológico de qualquer ser humano revela uma impossibilidade mental de amar. Amamos apenas nosso desejo e não a outra pessoa. Amamos apenas nossa idealização. Todas as relações são baseadas em interesse. Uma das partes pode amar, mas a outra não. Nunca existirá o amor mútuo, e mesmo que existisse, se dissiparia com o tempo!

Mariane disse...

Falas com propriedade de fato, mas ainda teimo em contrariar os conceitos pré concebidos e acreditar no AMOR.
Se nesta impossibilidade de amar, reside apenas na idealização que faço do Outro, para preencher uma falta que há em mim; poderia eu então sentir no Outro respingos do amor próprio em mim.

Malditos Patos disse...

"Amamos o nosso desejo"...
O que nos move, amiga, é o desejo.

Mariane disse...

Eu desejo
Tu desejas
Ele deseja
e o resto se completa...

IT disse...

Mariane, minha amiga.

Tenho um caso de amor comigo mesma s/narcisisismo.Descobri esse "amor" qdo percebi, que,o outro simplesmente, não dar, qdo não tem. Qdo, o amigo Patos, descobri esse amor, aí sim, ele saberá que o amor existe e encanta em todas as suas dimensões. Viver sem AMOR é viver embotado!

Lindo Texto amiga, me identifico com o último parágrafo.[...]apesar de tudo...

Abraços de Irlene

Mariane disse...

Que gostoso ouvir teu som por aqui Irlene!

"Sem Amor é um catatônico viver embotado, sem sentimentos apenas vegeta estático e robótico..."

Assim que puder retorno ao teu Som do coração para um colorido sonoro das falas do AMOR!

Eu disse...

Esta mensagem é muito linda! Exprime o crescimento, o amadurecimento, o descobrir o ser real que habita em você! Não é fácil este processo; de modo geral, sempre ficam cicatrizes em nós e nos que nos rodeiam! Mas, quando nos amamos de verdade (como diz o texto) as coisas acontecem... e é preferível cicatrizes ao invés de um ser morto, morto por ser o que não sou! Quando me amei de verdade descobri o eu real, me reconstruí e me reconstruo sempre que preciso pra continuar a me amar e a me construir continuamente!

Mariane disse...

Olá EU, que bela descoberta, continues a te reconstruir assim...
Beijos, e volta mais vezes para emprestar teu colorido por aqui, assim todos ganhamos novos pensar e novas nuances de cores!