"Há um momento em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos antigos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia - e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." (PESSOA, Fernando)

"Procuro despir-me do que aprendi. Procuro esquecer do modo de lembrar que me ensinaram. E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos. Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras. Desembrulhar-me e ser eu." (PESSOA, Fernando)

21 de jul de 2010

Perdas e danos

Por que na balança da vida não se contam os juros das juras de amor ?
Por que, nesta luta diária, sem ajuda de custo, correção monetária, só saudades ficou ?
Em meu coração há um estouro - sem saldo – não há dividendos, porque tudo levou...
Joguei os meus desenganos
Nas perdas e danos
Do nosso amor!
(autor desconhecido)

Fazendo a contabilidade no meu caderno de poesias, retirei  da conta do Ativo Permanente Imobilizado
transferindo-a para a conta do Passivo Circulante...

Nenhum comentário: