"Há um momento em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos antigos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia - e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." (PESSOA, Fernando)

"Procuro despir-me do que aprendi. Procuro esquecer do modo de lembrar que me ensinaram. E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos. Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras. Desembrulhar-me e ser eu." (PESSOA, Fernando)

17 de jun de 2010

Citando Fernando Pessoa

"Há um momento em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos antigos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia - e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." (Fernando Pessoa)

Assim inauguro este lugar, com esta frase de significado todo especial.

2 comentários:

Tatiane Sasse Altini disse...

Essa travessia é difícil de ser feita, as vezes é tão mais fácil, tão mais cômodo ficar parado... o que é novo é visto como inseguro, traz medo, incertezas e questionamentos mas enquanto se fica parado a vida passa e não vivemos, simplismente interpretamos um papel, aquele que a sociedade nos impõe e como o texto nos diz ficamos a margem de nós mesmos!

Mariane disse...

Bem vinda amiga, sinta-se em casa!
É bem verdade Tati, e esta travessia torna-se um pouco mais amena quando podemos contar com amigos verdadeiros ao nosso lado.