"Há um momento em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos antigos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia - e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." (PESSOA, Fernando)

"Procuro despir-me do que aprendi. Procuro esquecer do modo de lembrar que me ensinaram. E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos. Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras. Desembrulhar-me e ser eu." (PESSOA, Fernando)

25 de mai de 2012

As palavras sumiram...


Vem cá! Rápido, veja... Olhe ao longe Bem distante É ela... A poesia! Contornando os morros Pra bem longe Colocou as letras nas malas E as palavras sumiram...

2 comentários:

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Você conseguiu colocar vários prismas nesse pequeno(no tamanho) poema. Fiquei a vislumbrar a poesia contornando os montes, como vento ou fumaça levando as palavras. Mas eu sei que elas voltam. Bem, eu faço assim? Quando as palavras me faltam,eu mostro meu olhar. Beijos, Mari.

Marcia disse...

Ficou lindo querida beijos!!