"Há um momento em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos antigos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia - e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." (PESSOA, Fernando)

"Procuro despir-me do que aprendi. Procuro esquecer do modo de lembrar que me ensinaram. E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos. Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras. Desembrulhar-me e ser eu." (PESSOA, Fernando)

12 de abr de 2013

Distanciamento

... Tão perto, mas tão distante...
Sinto, mas não posso tocar
Leio, mas não posso ouvir
Quero, mas não posso ter...
Espero no anseio do porvir...
tão distantemente perto...
por vezes parecendo abismo sem fim...

(MariAne)


Nenhum comentário: