"Há um momento em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos antigos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia - e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." (PESSOA, Fernando)

"Procuro despir-me do que aprendi. Procuro esquecer do modo de lembrar que me ensinaram. E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos. Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras. Desembrulhar-me e ser eu." (PESSOA, Fernando)

10 de abr de 2013

Ser flores...

Ser flores não sei... Justiça do mundo
faz o corpo da mulher
ser frágil pra a luta,
e lhe trapaceia como serpente
exigindo-o gota a gota
seu sangue mensalmente. Guerreira donzela,
que belo galanteio! Impondo-se em altos saltos,
faz gracejo do próprio medo...
mas, por dentro,
sabe-se ser criança assustada... Dizem-lhe
ser esculpida para o desejo
e carrega fardo peso
em toda delicada sorte..." (fragmentos de uma MariAne)


Nenhum comentário: