"Há um momento em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos antigos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia - e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." (PESSOA, Fernando)

"Procuro despir-me do que aprendi. Procuro esquecer do modo de lembrar que me ensinaram. E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos. Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras. Desembrulhar-me e ser eu." (PESSOA, Fernando)

9 de jan de 2014

E por falar em amor


Ninguém dica numa relação a não ser que ela preencha, 
e em boa medida, os seus desejos.
 Esta é a única razão que nos prende a outra pessoa. 
Nosso coração é bem mais mercantilista do que parece.
 Por pior e mais conflitado que seja um amor, 
só o mantemos vivo se nos dá lucro. 
“O amor”, dizia Benjamin Constant,
 “é o mais egoísta de todos os sentimentos. ”
O equívoco está em procurar esse lucro apenas nos prazeres mais evidentes.
(Marina Colasanti – E por falar em AMOR)

Nenhum comentário: