"Há um momento em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos antigos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia - e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." (PESSOA, Fernando)

"Procuro despir-me do que aprendi. Procuro esquecer do modo de lembrar que me ensinaram. E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos. Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras. Desembrulhar-me e ser eu." (PESSOA, Fernando)

10 de ago de 2010

Primareva em mim

(imagem google)

Da folha que escrevo vertem salgadas linhas de dor, latejantes da angústia da incompreensão.
Aguardo pacientemente o silencioso dissipar das névoas deste rigoroso inverno que impede de ler-me as tuas luzes.

Viro a página e me reescrevo, reedito uma melhor versão de mim.

Que tais esperando? Vem conhecer.
Neste jardim há mais flores do que espinhos...

Deixa o perfume das tuas letras num colorido esperar das flores desta primavera que aqui se antecipa.
(MariAne)

10 comentários:

Ana SS disse...

Também os espinhos têm a sua beleza.

Mariane disse...

Estais certa Ana,
mas em especial hoje preciso das flores...

beijos
de uma Mari, hoje Ane

Helio Thompson disse...

Bom mesmo seria sempre o calor, aquele que acolhe.
O que faz uma flor se abrir, deixa o coração radiante, pulsando quente. E tudo isso não é preciso mudar de estação, basta uma palavra, um olhar.
Que o seu dia seja muito florido.

Bjos.
Helio

Mariane disse...

Quanta sensibilidade Helio T.!
Faz-me acreditar em primaveras eternas...
Linda tuas palavras aqui, agradeço
Abraços
De MariAne

IT disse...

"Estações em si

Diga a ela
primavera,
que virá...
o calor
para aquecê-la,
novamente
folhas secas....
por fim
um frio de doer.
Haverá...
florais
aromáticos
florais
amadeirados
e aromas delicados.
logo,
Eterna beleza enfim.

Deixo neste lugar, aromas a base de óleos extraídos de flores dissemelhantes.

Irlene

JB disse...

E em cada flor há sementes novas, com novos coloridos e perfumes... A esperança de invernos rigorosos mas essenciais ao desenvolvimento da natureza (humana, também!).

Beijinho

Mariane disse...

Quantas estações em mim mesma serei capaz de perceber??!! Não saberia dizê-lo,apenas posso experienciar e saborear...

Que delícia Irlene, sentir o aroma de tantas letras diferentes!

Mariane disse...

Ei JB, talvez seja esta a beleza de cada nova estação; a possibilidade do recomeçar a cada novo ciclo, com novas cores e sensibilidades. Depois do hibernar do inverno há o estrear de novas flores...
Abraços com esperanças de flores coloridas em teu jardim...

Renata Bezerra disse...

Mari, te sinto mais viva a cada dia que passa. Isso se reflete nos teus textos, luminosos.

Beijos.

Mariane disse...

Renata querida, são teus lindos olhos que me vêem assim, obrigada!
Tenhos meus dias de inverno, assim como muitos de primavera... e estou aprendendo a aproveitar o melhor de cada uma das minhas mesclads estações.
Beijos singelos de uma Mari