"Há um momento em que é preciso abandonar as roupas usadas que já têm a forma do nosso corpo e esquecer os caminhos antigos que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia - e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos." (PESSOA, Fernando)

"Procuro despir-me do que aprendi. Procuro esquecer do modo de lembrar que me ensinaram. E raspar a tinta com que me pintaram os sentidos. Desencaixotar as minhas emoções verdadeiras. Desembrulhar-me e ser eu." (PESSOA, Fernando)

30 de ago de 2010

Deixaram de ensinar responsabilidade...


Trecho do livro Crônicas de um Bipoloar, de Marcelo C.P. Diniz, p.52, que merece reflexão:

"[...] quando eu queria matar aula, a opção era minha. O colégio não tinha muro - era uma experiência que fizeram no Colégio Estadual de Minas Gerais naquele tempo. Mas o ônus também era meu: os professores não aliviavam na lista de presença nem nas notas. Noutro dia passei por lá e o colégio está murado. Uma pena! Deixaram de ensinar responsabilidade, amor-próprio, autoconfiança, iniciativa e uma série de outros valores."

Acho interessente o destaque dado pelo autor sobre a possibilidade de escolha, atrelado com as consequências das mesmas. O que vemos muito nos dias atuais, são filhos usufruindo da liberdade de escolhas, porém pais amenizando as consequências destas escolhas... e como fica o aprendizado??

Se gostou, poderás encontrar e comentar outros fragmentos desta leitura em Duas pontas do lápis  (http://duaspontasdolapis.blogspot.com/), que postarei a medida que transcorrer minha leitura.

6 comentários:

IT disse...

Infelismente, não houve aprendizado aliás, a
lição não foi apresentada de forma correta.As experiências que não deram certo, fazem parte do processo, porém é necessário formar cidadão, capaz de pensar, analisar e compreender a lição, aplicando-as na vida diária.

"As únicas respostas interessantes são aquelas que destroem as perguntas"

"O importante da educação é o conhecimento não dos fatos mas dos valores"

Ana SS disse...

É...os muros vão cada vez mais além das escolas.
Até as tais "pulseirinhas do sexo" proibiram!
Rs...

Mariane disse...

Interessante reflexão Irlene!

Mais uma vez abrilhantando este lugar,

Beijos
Mari

Mariane disse...

Ei Ana, lembrei de uma leitura que fiz tempos atrás: dirigir um grupo com autoritarismo, pela coerção, ou pelo respeito? Como estamos educando nossos jovens?? Quando há respeito e diálogo, o autoritarismo fica em desuso.
Beijos desta MariAne

Cantinho She disse...

...que interessante...nunca havia pensado por esse lado, mas o autor tem toda a razão... beijo, beijo!
She

Mariane disse...

Concordo contigo Sheila,
beijocas
Mari